Voz de Alagoas - A Voz Que Você Confia

MENU
Logo
Sábado, 31 de outubro de 2020
Publicidade
Publicidade

Policial

Mãe de jovem agredido pelo pai com barra de ferro está sendo ameaçada de morte, diz OAB

Ainda segundo o representante da OAB, além da participação do pai no crime, as autoridades confirmaram que um irmão mais velho também cometeu o fato

Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A mãe do adolescente que foi espancado após declarar sua orientação sexual está sendo ameaçada de morte e deve registrar um boletim de ocorrência contra o seu ex-esposo, foi o que garantiu o representante da Comissão de Promoção da Igualdade Social, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Seccional Alagoas, doutor Betinho.

O representante da entidade, explicou que na manhã desta quarta-feira (26), mais de dez entidades representativas, estiveram presentes em uma reunião, onde puderam ouvir os relatos, tanto do adolescente, quanto da mãe e que a partir daí um documento será elaborado. 

“Iremos construir um documento em conjunto com as entidades que estiveram presentes na reunião e iremos encaminhar a 14º vara criminal do Tribunal de Justiça, ao Ministério Público Estadual e a delegada titular do caso, para que os suspeitos possam ser enquadrados nos crimes de homofobia e tentativa de homicídio”, explicou Betinho. 

Ainda segundo o representante da OAB, além da participação do pai no crime, as autoridades confirmaram que um irmão mais velho, de 32 anos, também cometeu o fato. “Esperamos agora que a delegada que está cuidando do caso possa pedir a prisão preventiva dos envolvidos. Não houve lesão corporal, foi uma tentativa de homicídio”.

Por fim, Betinho contou que esse caso é mais um que ocorre e faz com que as entidades possam enxergar a necessidade de um Conselho Tutelar de qualidade. “Enquanto estávamos em casa, era o conselho que atendia essa família. Precisamos cada vez mais fortalecer esse trabalho que é essencial”. 

Através de nota encaminhada à imprensa, a Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos, em nome da secretária Maria Silva, repudiou os atos de homofobia, que culminaram com a violência física, praticados contra um adolescente de 14 anos, morador do bairro de Chã de Bebedouro, em Maceió.

Conforme a nota, atos como esses ferem a Constituição Federal em seu Art. 3º, IV e a Lei Federal n 8.069/90, atingindo ainda a toda a sociedade alagoana e brasileira, agredindo, igualmente a decisão do Supremo Tribunal Federal que reconheceu o crime de homofobia, utilizando-se da analogia ao crime de racismo. Ainda segundo o órgão, a vítima tem nossa irrestrita solidariedade de todos que compõe. 

A Semudh informou ainda que por meio da Superintendência de Políticas para os Direitos Humanos e a Igualdade Racial, realizará o acompanhamento do caso para auxílio da vítima, assim como está à disposição para apoio e orientações quanto a violações dos direitos humanos em nosso Estado, pelo telefone (82) 9 8879-7571 ou e-mail supdhir2016@gmail.com.

Fonte/Créditos: Cada Minuto

Comentários:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )