Voz de Alagoas - A Voz Que Você Confia

MENU
Logo
Quinta, 22 de outubro de 2020
Publicidade
Publicidade

Maceió

Músico alagoano Zailton Sarmento morre aos 64 anos

Internado há quatro meses, instrumentalista já estava curado da Covid, mas tinha problemas renais

Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Depois de quatro meses internado e dias de muita luta pela vida, morreu, nessa quarta-feira (24), o músico alagoano Zailton Sarmento. Ele estava internado no Hospital do Coração e faleceu devido a uma infecção generalizada. 

Segundo Zenildo Sarmento, irmão do instrumentalista, Zailton contraiu Covid e já estava curado, mas tinha problemas renais, o que complicou seu estado de saúde. 

 

"Ele passou quatro meses internado, numa luta árdua, mas, infelizmente, o final foi esse. Meu irmão estava curado da Covid, mas, como ele tinha problema renal, desencadeou uma série de eventos, as defesas foram diminuindo a cada dia e ele faleceu de infecção generalizada", conta.

Zenildo fala com carinho do irmão, a quem chama de amigo e filho.

"Ele era uma referência como pessoa e músico. Nos sentimos pequenos diante do comportamento do meu irmão, desprovido de inveja. Não diria que ele é puro porque só Jesus Cristo foi, mas ele teve uma passagem aqui que a gente se honra, em ser irmão, amigo e também pai porque participei da criação dele, já que sou mais velho. Ele era o irmão mais próximo a mim, eu que o iniciei na música. Zailton vai deixar uma grande lacuna na música alagoana e brasileira. Vai fazer muita falta", expôs Zenildo.

O enterro do artista será às 13h, no Campo Santo Parque das Flores, no Tabuleiro do Martins, parte alta de Maceió.

Homenagens

Nas redes sociais, amigos e artistas, como Almir Medeiros e Wilma Araújo, prestaram as últimas homenagens. 

"A tristeza e a alegria andam juntas. Cada uma escolhendo o seu momento de atuação nas nossas vidas. Hoje é um dia de tristeza para os que tiveram a alegria de conhecer o músico fantástico e o ser humano maravilhoso que foi o Zailton. Estou muito triste com a sua partida, mas ao mesmo tempo me sinto feliz por ter tido a sorte e o prazer de ter conhecido esse cara com quem muito aprendi sobre a música e sobre a vida. Vai com com Deus, meu amigo. Ele certamente reservou um belíssimo lugar para a sua morada eterna!", escreveu Almir.

"A primeira vez que subi no palco para cantar, foi em um festival de música! Lá estava Zailton Sarmento, que depois da apresentação, veio me convidar para, quando quisesse, cantar com ele, nos casamentos e aniversários! Foi a primeira pessoa que me estendeu a mão! Sobrava talento ao Zazá (tocava cavaco, bandolim, violão, piano e conhecia centenas de canções), além de ser uma pessoa que conservou a humildade, a ingenuidade e era muito generoso", externou Wilma.

 

Fonte/Créditos: GazetaWeb

Comentários:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )